10 dicas para entrar no bilionário mundo dos aplicativos

10 dicas para entrar no bilionário mundo dos aplicativos

De acordo com uma pesquisa da Appnation divulgada no ano passado, a economia de aplicativos móveis vai dobrar de 72 bilhões de dólares, em 2013, para 151 bilhões de dólares em 2017. Para você não ficar de fora dessa, saiba como criar um aplicativo e conquistar uma fatia desse mercado bilionário.

Screen Shot 2014-06-18 at 8.20.27 AM

#1 Escolha um ramo que você goste (ou melhor, ame!)

Miguel Krigsner, criador da maior rede de franquias do Brasil – O Boticário, afirma que “é preciso ter paixão pelo que faz e ser feliz no dia-a-dia da empresa, afinal, a maior parte do seu tempo será dedicada a ela”. Na hora de criar um aplicativo, não adianta olhar somente para o mercado. Primeiro, é necessário descobrir quais são as suas vontades e habilidades.

#2 Não tenha medo de mudanças!

Se você quer ser um empreendedor de sucesso, é bom se acostumar a perguntas do tipo: “O que eu faço agora?”. Yuri Gitahy, especialista em startups, afirma que uma startup é um grupo de pessoas à procura de um modelo de negócios repetível e escalável, trabalhando em condições de extrema incerteza. Isso significa que não há como afirmar se sua ideia ou projeto realmente irá dar certo, ainda mais quando se trata de mercado mobile. Tudo depende de você e da sua equipe.

#3 Por falar em equipe, quem está ao seu lado?

Nenhum empreendedor alcança o sucesso sozinho. Guy Kawasaki’s, um dos maiores especialistas em Marketing e Tecnologia, chama a atenção para a formação de uma equipe. Contrate pessoas que amem o seu produto, não apenas que tenham formação e experiência. Mais do que isso, contrate profissionais melhores do que você. Afinal, é preferível que eles estejam na sua equipe do que na de seus concorrentes.

#4 Por que você foi me lembrar deles?! (É melhor não ignorar seus concorrentes!)

Pense bem: Vale a pena lançar mais um aplicativo de táxis? Você tem algo realmente novo a acrescentar? Se a sua resposta for sim, vá em frente! Se você ficou em dúvida, vale a pena repensar alguns pontos. Estudar os seus concorrentes pode ser um bom início.

Além disso, é importante que você conheça os usuários e descubra quais são as suas principais insatisfações. Será que você consegue resolver esses problemas? Dê atenção a tudo que os usuários disserem, pois sua inovação pode surgir a partir daí.

#5 Inove sempre, inove todos os dias!

Hugo Yang, sócio da Fábrica de Aplicativos e que escreve no blog sobre diversos assuntos, afirma que inovação são ideias que se tornam iniciativas ou ações e geram valor para a empresa. Isso pode significar aumento de faturamento, acesso a novos mercados ou aumento das margens de lucro. Mas, ele chama a atenção: “Inovação pode ser dividida em vários níveis, que vão desde uma conversa de bar, em que tudo é inovação, até algo bem específico, como a aplicação da Lei do Bem e a captação de subvenções governamentais, por exemplo”.

Inovar é essencial para a sustentabilidade de uma empresa e quem inova fica em posição de vantagem em relação aos demais. Inovação não necessariamente tem a ver com dinheiro. Na internet, quem detém o poder não é mais quem detém os recursos, e sim quem possui as ideias.

#6 Mas, uma ideia só não basta. Run, Forrest! Run!

É ótimo ter ideias, mas não pare por aí! Não desperdice tempo, dinheiro e energia desenvolvendo o aplicativo ideal. Crie um MVP (Mínimo Produto Viável) com as funcionalidades essenciais e vá aperfeiçoando a partir do feedback dos seus usuários. Não raro você irá descobrir que a necessidade deles é bem diferente daquela que você imaginava no início.

#7 Em terra de aplicativo, usuário é rei!

Eduardo Ruschel, fundador da Palpiteros, recomenda: “Invista grande parte do tempo inicial pesquisando as necessidades do usuário, veja se sua ideia é realmente válida e se seu aplicativo irá fazer diferença para seu público-alvo”. Alex Tabor, co-fundador do Peixe Urbano, complementa: “Se preocupe primeiro em ter um aplicativo útil, fácil de navegar, que gere engajamento e traga benefícios para os usuários”. Depois disso, você estará pronto para começar a ganhar dinheiro com ele.

#8 Até que enfim vamos falar de dinheiro!

Paradoxalmente, os aplicativos que mais faturam são os que têm download gratuito. A vantagem é que você pode ter mais de um modelo de geração de receita. Uma maneira é oferecer funcionalidades que só podem ser adquiridas com a versão paga. Outra alternativa é oferecer o aplicativo de graça, mas cobrar uma taxa pelo uso do serviço, seja ela diária, semanal, mensal ou anual. No entanto, a forma mais frequente de gerar receita é através da inclusão de propagandas. Para isso, é claro, não esqueça que você precisa ter uma grande base de usuários.

#9 Ninguém baixou meu aplicativo! E agora?

Não se desespere. Estude como as pessoas interagem com o seu aplicativo e faça melhorias. Torne ele simples e fácil de usar. Não peça às pessoas para fazerem algo que você não faria, como fornecer muitos dados pessoais. Interaja com seus usuários e valorize os feedbacks que receber. Encontre pessoas que amem o seu negócio tanto quanto você. Isso facilitará a criação de uma comunidade em torno do seu aplicativo.

#10 Você é a pessoa certa!

Pare de achar que você não é a pessoa mais indicada para isso. Você é a pessoa ideal. Para se manter confiante, evite conviver com pessoas pessimistas. Esteja aberto a receber críticas, mas saiba desconsiderar opiniões superficiais. Confie no seu negócio e entenda que o erro é parte fundamental do processo.

Você irá errar tantas vezes que perderá a conta. E isso é ótimo! Aprenda com os erros e não tenha medo de mudar de opinião, de estratégia ou até mesmo de sócio. Quanto maior o número de “nãos” que você ouvir, mais próximo estará do “sim”.

Ufa, espero que agora você já esteja pronto para criar seu próprio aplicativo! Se identificou com as nossas dicas? Sentiu falta de algo importante? Compartilhe as suas ideias com a gente! Adoramos feedbacks =)

Abraços!

Mariana Bartz

 

Fontes: Uol: Economia/Tecnologia, Exame, TechTudo, Pequenas Empresas & Grandes Negócios.

2 Comments
  • Igor
    Posted at 9:50 AM, 30/07/2014

    Normalmente eu começo desenvolvendo para iOS e depois para Android. Uma dúvida que tenho quanto a desenvolver uma ideia propria: lanço na App Store assim que a versão iOS estiver pronta ou espero as 2 estarem prontas? As vezes penso que ter para uma plataforma e não ter para outra vai causar ansiedade e gerar expectativa nos usuários para o lançamento na outra plataforma (no caso, android), as vezes penso que não vai causar tanto impacto ou que alguém vai desenvolver para android mais rápido do que eu. Qual sua opinião?

    • Posted at 4:33 PM, 30/07/2014

      Olá, Igor. Como vai?

      Não espere não, lance logo! Já vi muito projeto indo por água abaixo por conta disso. Conselho: lance seu produto o quanto antes. Se lançar com o mínimo valor possível, você vai ter a chance de validar suas hipóteses. Você já leu o post que fala sobre esses problemas de uso e downloads de aplicativos?

      Espero ter te ajudado! Vá em frente! Abraços.
      Hugo yang